• Dr. Jorge Lyra

Afinal o que é Ooforectomia?

Ooforectomia é um método operatório que consiste na retirada de um ou dos dois ovários. Os ovários são duas glândulas que se localizam em cada um dos lados do útero, e se ligam a ele por meio das trompas. Ele faz para do Sistema Reprodutor Feminino, sendo responsável pela síntese de hormônios sexuais e pela produção e armazenamento das células reprodutivas, os óvulos.


Os óvulos são considerados órgãos "tumorigênicos" , ou seja que podem desenvolver tumores com uma frequência maior que outros, pois em praticamente todos os ciclos se desenvolve uma espécie de cisto com um líquido rico em estrogênio, durante o desenvolvimento do óvulo.


Quando o óvulo é liberado quando acontece o rompimento do folículo, processo chamado ovulação. Às vezes essa ruptura não acontece e o folículo cresce demais, chegando a alcançar centímetros, e até mesmo dimensões maiores, sendo chamado de tumores císticos foliculares. Outra situação é que após a ovulação, pode ocorrer de um pequeno vaso ficar sangrando dentro do ovário, o que pode ocasionar o cisto de corpo lúteo, que, na maioria dos casos, deve desaparecer depois de uma ou duas menstruações. Geralmente, eles são cistos benignos, porém se não retrocederem dentro desse período, precisam ser investigados.


Estes dois exemplos são chamados de cistos funcionais e geralmente não precisam de cirurgia. Cistos que não retrocedem e que indicam características anormais na sua superfície, conteúdo e vascularização, devem ser avaliados através de exames específicos.


A cirurgia ooforectomia parcial ou ooforoplastia é indicada em casos de suspeitas de tumores malignos ou como forma de prevenção e tratamento de outras condições, como a endometriose profunda, teratomas benignos e cisto de corpo lúteo hemorrágico. Em alguns casos de câncer de mama ela também pode ser indicada a fim de eliminar os ovários, devido a produção de hormônios que podem contribuir para a evolução do tumor.


Como a cirurgia é realizada?


Geralmente essa cirurgia é realizada por meio da videolaparoscopia. Procedimento minimamente invasivo onde é realizado pequenos cortes, de 5mm a 1cm, para introduzir uma câmera e os instrumentos cirúrgicos. Após os tumores ou ovários serem removidos, é necessária uma revisão minuciosa do local para avaliar o resultado e evitar algum tipo de sangramento.


Vale destacar que a ooforectomia, sobretudo a retirada dos dois ovários, não deve ser realizada de maneira indiscriminada. Pois, a falta dos hormônios ovarianos repercute dramaticamente no organismo da mulher, principalmente aquelas que estão em plena capacidade reprodutiva.


Então, o ideal é conversar com seu médico sobre as opções de tratamento para então tomar a melhor decisão. Lembrando que é fundamental é que os cuidados sejam sempre preventivos. Não descuide da sua saúde, faça os exames e consultas preventivas regularmente, incluindo as mamas, pelo menos uma vez por ano.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo